PROPOSTA DO CURSO

I - Identificação do Programa

Instituição:
Universidade Federal de Minas Gerais
Nome:
Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica
Grande Área:
Engenharias
Comitê CAPES:
Engenharia IV - Engenharia Elétrica e Biomédica
Níveis:
Especialização, Mestrado e Doutorado










II - Histórico
           O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE), desenvolvido pelos Departamentos de Engenharia Elétrica e de Engenharia Eletrônica, é integrado pelos Cursos de Mestrado, de Doutorado e de quatro Cursos de Especialização.

           A origem do Programa remonta ao ano de 1964, quando foi realizado na Escola de Engenharia da UFMG, o primeiro Curso de Aperfeiçoamento em Sistemas Elétricos de Potência, resultado de um convênio da ELETROBRÁS com a CEMIG e colaboração das Centrais Elétricas de FURNAS. Tais cursos de Aperfeiçoamento se estenderam até 1970. Com a realização desses cursos, e a realidade do desenvolvimento regional da produção, transmissão, distribuição e utilização da energia elétrica, floresceu na Escola de Engenharia a idéia de se criar um Curso de Mestrado na área de Sistemas Elétricos de Potência.

           Em 1971 foi nomeada pela Diretoria da Escola de Engenharia uma Comissão para estudar a implantação do Curso de Mestrado em Engenharia Elétrica.

           O Curso de Mestrado foi criado em 1972, e teve seu funcionamento aprovado pela Câmara de Pós-Graduação (CPG) da UFMG em 13/03/1972 e pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão em 22/03/1972. Neste início o Curso foi implantado com uma única Área de Concentração em Sistemas Elétricos de Potência, sob a responsabilidade do Departamento de Engenharia Elétrica.

           Nessa etapa, a Escola de Engenharia, mediante convênio com a CEMIG, contou com a participação de 03 engenheiros daquela empresa, mestres em Ciências pelo Ressenlear Polytechnic Institute - USA e de alguns mestres professores da UFMG e outros que, embora não titulados, possuíam sólida formação profissional em Engenharia Elétrica.

           Em 1973, com a colaboração de professores doutores franceses, participantes de um convênio de cooperação técnico-científica da Embaixada Francesa com a COPPE-UFRJ, foi implantada a Área de Concentração em Eletrônica Industrial, que foi criada em 1974, sob a responsabilidade do Departamento de Engenharia Eletrônica. Essa área contava com dois mestres titulados pela COPPE/UFRJ, um mestre titulado pelo Illinois Institute of Technology e dois professores colaboradores franceses, sendo um deles doutor em Engenharia.

           O Curso de Mestrado, a partir de 1986, passou por importantes reformas acadêmicas, adquirindo um perfil mais científico e em consonância com as políticas de pós-graduação do país. Desde então, o Curso iniciou uma nova fase de desenvolvimento acadêmico-científico e vêm se caracterizando por um processo contínuo de renovação de sua estrutura curricular e avanço na titulação de seus docentes, com a consequente ampliação das áreas de atuação.

           Em 1989, o curso passou a ter as seguintes áreas de concentração: Sistemas Elétricos de Potência e Automática. Naquele mesmo ano foi criado o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Engenharia Elétrica, CPDEE, concentrando as atividades de pesquisa dos Departamentos de Engenharia Elétrica e de Engenharia Eletrônica em um único espaço físico, o que permitiu a mudança do Curso de Pós-Graduação para o Campus da UFMG, situado na Pampulha. Este fato foi um dos marcos importantes e decisivos na evolução da pós-graduação na área de Engenharia Elétrica da Escola de Engenharia da UFMG.

           Em 1991, deu-se início a um novo processo de reavaliação do Curso que culminou, em 1993, na ampliação da pós-graduação. A partir de então, a pós-graduação passou a se organizar como Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica. Nesta época, foram criados os cursos de Doutorado em Engenharia Elétrica e de Especialização em Automação Industrial.

           O Curso de Doutorado foi aprovado pela CPG em 27/09/1994, pelo CEPE em 27/10/1994, pelo Conselho Universitário em 24/11/1994 e recomendado pela CAPES em 17/07/1995.  O Programa foi organizado com uma única área de concentração, denominada “Automática”. O novo Regulamento do Programa passou a incluir os cursos stricto sensu (cursos de Mestrado e de Doutorado) e lato sensu (curso de Especialização).

           Dando continuidade ao processo de evolução científica e acadêmica, em 29/08/2003  o Colegiado do Programa aprovou a atual estruturação curricular. Esta estrutura ampliou as áreas de atuação do PPGEE, buscando aumentar sua relevância acadêmica e científica nos cenários regional, nacional e internacional. A reestruturação curricular do PPGEE foi aprovada pela CPG em 25/03/2004.

           A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES),  há mais de meio século,  tem promovido o desenvolvimento da pós-graduação nacional, cumprindo assim um papel fundamental na formação de pessoal qualificado e no avanço da pesquisa científica e tecnológica. A CAPES realiza também, como uma de suas principais linhas de atuação, a avaliação dos Programas de Pós-Graduação desde 1976.  Os resultados alcançados são muito significativos  e, com certeza, contribuem para tornar o Sistema Nacional de Pós-Graduação brasileiro um dos programas mais importantes dentre aqueles existentes nos países mais desenvolvidos, na área de pós-graduação.

           Nas avaliações da CAPES da última década do século XX, o Programa obteve Conceito A nos biênios 1990-1991, 1992-1993, 1994-1995 (os programas eram classificados por letra,  sendo A o conceito máximo). A partir do biênio 1996-1997, os programas passaram a ser classificados de 1 a 7, sendo 7 o conceito máximo. No biênio 1996-1997 o PPGEE obteve Conceito 5.  A partir de 1998 a CAPES passou a avaliar os programas por um período de três anos e no triênio 1998-2000 o PPGEE obteve Conceito  5. Embora o Programa tenha apresentado, de acordo com os avaliadores, um excelente desempenho científico, o conceito 5 foi justificado pelo fato do Curso de Doutorado ser um curso novo e estava sendo avaliado pela primeira vez.

           Na avaliação do triênio 2001-2003, o PPGEE apresentou um desempenho excelente no período avaliado, com destaque para a sua inserção internacional e índices de produtividade em publicações e teses de doutorado e dissertações de mestrado. Reconhecendo essa qualidade a Comissão de Avaliação da Área de Engenharia Elétrica classificou o PPGEE no mesmo nível dos programas nível 6. Entretanto, o Conselho Técnico e Científico da CAPES manteve o Conceito 5.

           Na avaliação do triênio 2004-2006, o PPGEE-UFMG foi alçado ao Conceito 6 por ter apresentado durante o triênio desempenho destacado em relação a sua produtividade científica em termos de publicações e teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas. Além disso, no triênio 2004-2006 o PPGEE consolidou a sua inserção internacional e nacional. O Conceito 6 vem como reconhecimento deste esforço contínuo de busca pela qualidade científica e tecnológica.

           Na avaliação do triênio 2007-2009, o PPGEE-UFMG consolidou-se como um dos programas de referência nacional em Engenharia Elétrica ao obter novamente o Conceito 6, reconhecendo-se a qualidade dos produtos acadêmicos originários deste programa e a excelente produtividade científica do corpo docente e discente. Naturalmente, este conceito também reflete a crescente inserção internacional do Programa e sua capacidade em captar recursos de agências de fomento, da indústria, além da crescente nucleação de novos grupos de pesquisa fora da UFMG.

           No triênio 2010-2012, o PPGEE-UFMG  foi classificado com Conceito 7 pela CAPES, consolidando a sua posição no grupo dos programas de maior relevância científica e tecnológica do país na área de Engenharia Elétrica.
O PPGEE oferece ambiente e infraestrutura adequados para a formação de recursos humano para o exercício de atividades técnico-profissionais, de ensino e de pesquisa científica e tecnológica em Engenharia Elétrica e áreas afins. Hoje, podemos dizer que o PPGEE-UFMG está consolidado em todas as atividades fins da pós-graduação, com assegurada garantia de qualidade no cumprimento de seus objetivos e apresentando perspectivas promissoras de expansão de suas atividades acadêmicas e científicas. Ressalta-se o ambiente propício para a constituição de grupos de pesquisa multidisciplinares, tendência que vem se consolidando no cenário de pesquisa no Brasil e no mundo, que são favorecidos pela diversidade de formação do seu corpo docente e pela proximidade física entre os pesquisadores das mais diversas áreas do conhecimento da UFMG.



III - Perspectivas e Tendências

O PPGEE está consolidado em todas as atividades fins da pós-graduação, assegurando assim garantias de qualidade no cumprimento de seus objetivos e apresentando perspectivas promissoras de expansão de suas atividades acadêmicas e científicas. Atualmente, uma característica marcante é o ambiente altamente propício para a constituição de grupos de pesquisa multidisciplinares. Esta é uma tendência para os próximos anos, a qual é grandemente favorecida pela diversidade de formação do seu corpo docente e pela proximidade física dos pesquisadores das diversas áreas do conhecimento, viabilizada pelo Campus da UFMG.


IV - Atividades de Formação de Pessoal

As atividades de formação do PPGEE compreendem especificamente:
 
  • O Curso de Doutorado em Engenharia Elétrica, cujo objetivo é desenvolver a capacidade e a habilidade de conduzir pesquisa original e independente, bem como formar lideranças na área.
  • O Curso de Mestrado em Engenharia Elétrica, cujo objetivo é aprofundar o conhecimento profissional e acadêmico, bem como possibilitar o desenvolvimento da habilidade de executar pesquisa na área, demonstrando capacidade de sistematização e revelando domínio do tema e da metodologia científica empregada.
  • Os Cursos de Especialização, cujo objetivo é proporcionar, a engenheiros e graduados, a elevação da qualificação técnico-profissional em Engenharia Elétrica e áreas afins, além de incentivar o desenvolvimento do setor industrial. Estes cursos envolvem a preparação obrigatória de trabalho de conclusão de curso (monografia), de forma a desenvolver no aluno a capacidade de síntese dos temas desenvolvidos nas disciplinas.
  • O Programa conta atualmente com 3 cursos de Especialização: Curso de Especialização em Automação Industrial - CEAI; Curso de Especialização em Engenharia de Sistemas Elétricos de Potência - CESEP; Curso de Especialização em Sistemas de Energia Elétrica - CESEE - com ênfase em Qualidade da Energia Elétrica.


V - Atividades científicas



Atividades científicas compreendem:
  • A geração de conhecimento de uma forma geral e independente.
  • A criação de ambiente propício ao aperfeiçoamento e à geração de novas tecnologias que impulsionem o desenvolvimento econômico e social do país.
  • O desenvolvimento de novos grupos regionais e nacionais na área de Engenharia Elétrica, através de convênios e parcerias.
  • O estabelecimento de vínculos científicos com as principais instituições mundiais em suas áreas de atuação.
 

VI - Outras Características
Atualmente, uma característica marcante é o ambiente altamente propício para a constituição de grupos de pesquisa multidisciplinares. Esta tendência deve se acelerar nos próximos anos, pois é muito favorecido pela grande diversidade na formação do corpo docente e pela proximidade física dos pesquisadores das diversas áreas do conhecimento, viabilizada pelo Campus da UFMG.
Em termos das características gerais, vale a pena fazer os seguintes destaques em relação às perspectivas e tendências:

- FORMAÇÃO DE PESSOAL QUALIFICADO - já atingiu um padrão elevado, reconhecido cientificamente em termos de quantidade e qualidade. O Programa está investindo em políticas acadêmicas de aumento da demanda qualificada para o curso de doutorado e no aumento da participação dos alunos em programas sanduíche em instituições estrangeiras reconhecidas pela sociedade científica internacional. Uma política de crescimento da produção científica discente também foi estabelecida no triênio 2004-2006 e reforçada no triênio 2007-2009, com critérios de acompanhamento, avaliação e financiamento da produção científica discente.

- O CORPO DOCENTE PERMANENTE - é altamente qualificado e com formação diversificada em termos de instituições onde as qualificações foram obtidas. Duas outras características importantes são a formação do corpo docente por várias gerações de pesquisadores e o número de professores grande o suficiente para tornar o programa robusto a flutuações na produção individual de cada docente. Este perfil garante longevilidade científica ao Programa.

- PRODUÇÃO CIENTÍFICA - A produção científica da comunidade do PPGEE é bastante significativa, quando comparada com seus pares. Entretanto, o Colegiado vem definindo uma política científica de impacto em curto, médio e longo prazo com a perspectiva de um aumento significativo tanto por parte do corpo docente, quanto discente. Uma outra característica importante é a produção científica com co-autoria de discentes, o que mostra o impacto dos trabalhos oriundos das teses e dissertações do PPGEE. Além disso, há crescente presença de co-autores pesquisadores estrangeiros, proveniente das parcerias e convênios internacionais.

- INSERÇÃO INTERNACIONAL - depende essencialmente da interação dos grupos de pesquisa do PPGEE com grupos internacionais de destaque científico no mundo. Embora o corpo docente do PPGEE seja relativamente jovem, o reconhecimento científico de seus membros já é marcante e a tendência é de um acentuado crescimento nos próximos anos. Destacam-se, quanto a este item, um forte incremento da participação do corpo docente nos Corpos Editoriais de Periódicos Internacionais e nos Comitês Técnico-Científicos de Conferências Internacionais. O Programa tem também incentivado o estabelecimento de parcerias, convênios e intercâmbios internacionais de alunos de doutorado, através de suas políticas de credenciamento de docentes, de doutorados sanduiche e de distribuição de recursos.

- PAPEL ESTRATÉGICO REGIONAL E NACIONAL - o PPGEE vem ampliando seu papel estratégico, tanto na Nucleação de Grupos de Pesquisa em outras instituições regionais e nacionais, como também na formação tecnológica de funcionários de empresas do setor industrial mineiro e rasileiro. Além disso, os membros do PPGEE têm contribuído decisivamente no avanço do setor industrial regional e nacional através do estabelecimento de parcerias e convênios de projetos de desenvolvimento tecnológico.

- ESTRUTURA CURRICULAR - o PPGEE possui um currículo que está em consonância com as características de adequação e abrangência necessárias a um programa de pós-graduação que tem como finalidade se firmar como uma das referências na sua área de atuação, tanto no país como no exterior. O atual currículo foi implantado no ano de 2004 e vem sofrendo uma restruturação (a última no ano de 2010) de forma a ter um elenco de disciplinas coeso,
completo e consistente.

- ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS CIENTÍFICOS - o corpo docente permanente tem se empenhado em promover a organização de eventoscientíficos, bem como a participação em comitês técnico-científicos de eventos importantes em níveis nacional e internacional.

Notícias

Notícias anteriores

19/10/2018
Edital de Seleção PNPD/CAPES
[ Detalhes ] [ Baixar arquivo ]

05/10/2018
Edital de recomposição do Colegiado do PPGEE
[ Detalhes ] [ Baixar arquivo ]

05/10/2017
Edital de Seleção PNPD/CAPES
[ Detalhes ] [ Baixar arquivo ]

07/12/2016
Portaria 032/2016 - Resultado do Processo Seletivo do Mestrado com entrada no 1º semestre de 2017
[ Link ]

27/09/2016
Nova Diretoria SBMicro 2016-2018
[ Detalhes ] [ Baixar arquivo ]


Campus - UFMG

Avenida Antônio Carlos, 6627 - Escola de Engenharia - Bloco I sala 2303 CEP 31270-901
Belo Horizonte/Minas Gerais - Brasil


Telefone: +55 (31)3409-5465
Fax: +55 (31)3409-5480

Copyright / Todos os os direitos reservados